RESENHA: Teresa (2010)

Atriz Angelique Boyer é Teresa - Foto: Reprodução/Televisa
Teresa foi lançada no México em 2010 e foi um enorme sucesso naquele ano. Produzida pelo mesmo produtor de Rubi (2004), José Alberto Castro, a trama gerou muitas comparações com a produção de 2004 por possuírem protagonistas bonitas e super ambiciosas que desprezam a família, são falsas com as amigas e que fazem de tudo para conquistar um homem rico. A verdade é que não se sabe qual história veio primeiro, tanto Rubi (2004) quanto Teresa (2010) são remakes de obras que foram criadas ainda no século XX e que já tiveram algumas adaptações tanto para o cinema como para televisão - Teresa teve uma versão para a televisão em 1989 que acabou impulsionando a carreira da atriz Salma Hayek. Apesar dessas semelhança das obras de Yolanda Vargas Dulché e da autora Mimi Bechalani quem já assistiu ambas produções devem concordar comigo que elas são diferentes. 

Teresa (Angelique Boyer) narra a história de uma mulher pobre que apesar de saber que não tem condições, não aceita sua condição e luta com todas às forças armas para sair da pobreza. Para tanto, ela usa da sua beleza e principalmente da sua inteligencia para conseguir seus objetivos. 

Angelique e Sebastián - Foto: Reprodução Televisa
A protagonista durante os primeiros capítulos da trama possui um relacionamento de indas e vindas com o taxista, aspirante a médico, Mariano (Aaron Diaz) que é um homem cheio de princípios e totalmente diferente dela. A mesma vê a sua vida mudar, ou melhor, vê a possibilidade dela mudar quando conhece o professor de direito Artur de la Barrera (Srastián Rulli). A partir deste momento, Teresa passa à planejar os seus passos com o intuito de manipular os sentimentos do professor não se importando em pisar nos sentimentos do Mariano, da sua amiga Aurora (Ana Brenda Contreras) e dos entes da sua própria família. 

Com a frase "Ser ou não ser? Eu sou! Angelique deixou a fama de ex-rebelde de lado e passou a ser uma das atrizes mais requisitadas no México. Ela deu um toque especial a personagem que em cada capitulo mostrava uma faceta diferente. Sempre dissimulada, Teresa ganhou a audiência daquele país, que com o decorrer da trama viu a os números de televisores ligados só aumentarem - mesmo sendo transmitida no horário ingrato das 18h. Uma das coisas que contribuíram para que a trama fosse um sucesso foi a química entre Teresa e Artur. Tanto é, que mesmo Teresa "aprontando" horrores com ele e sua irmã, as pessoas não deixaram de torcer para que eles ficassem juntos no final. 

Falando em Artur, o interprete Sebastian Rulli, mostrou uma grande evolução interpretativa, fazendo com que muitos o observassem não só pela sua beleza física, mais também pelo seu talento. Esse foi um dos grandes papeis de sua carreira definitivamente. 

inicio da novela é meio lento- a verdade é que a trama só esquenta quando começa o envolvimento de Teresa e do Artur. Esses dois passam uma química maravilhosa e são lindos juntos. Além do mais, os demais personagens foram muito bem defendidos pelos atores, em especial a Ana Brenda Contreras como a Aurora. 

Deixo um destaque para o tema principal da novela, "Esa hembra es mala", música magistralmente interpretada pela cantora Gloria Trevi. 


Enfim, Teresa se mostrou ser uma novela muito além das comparações, com um enredo na medida, uma produção caprichada e um elenco acentuado e bem ambientado em seus personagens, a trama ganhou e mostrou a que veio no México, o que não deve ser diferente no Brasil.



Curiosidades:

- Teresa conta com a interpretação de Ana Brenda Contreras, que depois de atuar em alguns personagens secundários em novelas conseguiu bastante espeço na trama, garantindo assim papeis protagonistas em novelas posteriores;

- O colombiano Daniel Arenas (companheiro de Ana Brenda em Coração Indomável) estreou em território mexicano nesta novela como Fernando, o que também lhe garantiu papeis maiores em outras novelas;
Foto: Reprodução/Televisa

- Nos bastidores, um grande prato para fofocas das revistas, Angelique Boyer acabou se envolvendo com o produtor José Alberto Castro, que tinha 28 anos de diferença de idade. O mesmo foi o causador do afastamento da atriz com os seus pais, que não concordavam com o relacionamento da filha com um homem bem mais velho;

- O papel de Teresa proporcionou a Angelique o primeiro prêmio da atriz como melhor protagonista no prêmio TvyNovelas;


-  O final de Teresa é o detentor de maior audiência, desde 2011, das novelas que foram transmitidas no domingo pela televisa, com cerca de 32,9.
RESENHA: Teresa (2010) RESENHA: Teresa (2010) Reviewed by Nathalia da Silva on 15:15 Rating: 5

Nenhum comentário