RESENHA: Coração Selvagem (1993)


A primeira adaptação para televisão de Coração Selvagem(Corazón Salvaje) se deu com a versão de 1966 onde teve como protagonistas os atores Yulissa, Jacqueline Andere, Enrique Lizalde e Enrique Álvarez Felix, depois desta, houve mais três versões da história original deCaridad Bravo Adams, sendo uma em 1977 e outras duas em 1993 e em 2009. De todas as versões, a de 1993 definitivamente foi  a que marcou a história das novelas e se tornou um grande clássico da televisão mexicana.

Protagonizada por Eduardo Palomo, Edith González, Ana Colchero e Ariel Lopez Padilla a novela foi um grande sucesso, o elenco (a principio) não foi uma unanimidade, no entanto, foi o ideal para a realização da história. Os atores (inclusive os secundários) foram muito bem caracterizados e tiveram cada um o seu momento de destaque na trama, que foi adaptada pela maravilhosa Maria Zarattini e produzida por José Rendón.

Para quem não assistiu a novela, ela é uma novela deépoca e conta a história de Juan del Diablo (Eduardo Palomo). Juan  é um pirata, que muitos consideram como um “bandido”, que mesmo  descobrindo cedo que é filho bastardo de um homem importante da cidade, nunca procurou a sua família. Quando adulto, ele conhece e se apaixona pela sensual  Aimé (Ana Colchero), filha mais velha dos Altamira. Aimé se aproveita da paixão de Juan e o ilude dizendo que eles vão se casar e tal, acontece que isso não é possível pelo fato de que  ela deseja  se casar com alguém da sociedade e que tenha fortuna, isso  ela encontra em Andres (Ariel Lopes Padilla) - que mesmo sendo o prometido de Monica (Edith González), irmã de Aimé, não pensa duas vezes em firmar compromisso com ela.

Quando Juan descobre que foi enganado pela irmã mais velha dos  Altamira, decide contar a verdadeira face da Aimé para a sociedade, no entanto, Monica que é uma mulher devota e de bom coração, descobre as intenções de Juan e tentando evitar uma tragédia o convence  a não contar o envolvimento que ele teve com a sua irmã. Para tanto, Juan pede ela em casamento (o que foi, inicialmente, uma vingança contra a Aimé) e Monica mesmo gostando de Andres aceita o pedido. O que nenhum dos dois imaginava é que dessa união inesperada surgiria um amor, um amor que conseguiria passar por muitos empecilhos para chegar aos tão felizes para sempre.

Coração Selvagem (1993) foi uma novela bem diferente do que estamos acostumados a ver nas novelas mexicanas atuais ou até mesmo das novelas da época,  e isso aconteceu e acontece por causa do trabalho da produção da novela.  Nas mãos do José Rendón, a produção teve um cuidado mais que especial aos detalhes; desde a iluminação, os cenários e os figurinos. Todo essa atenção na produção, aliado a adaptação da Maria Zarattini que modificou alguns pontos, transformou a adaptação em um modelo de (quase) perfeição.  


Sobre o elenco, o destaque vai definitivamente para Eduardo Palomo que teve nesta novela o seu papel mais marcante na televisão mexicana. É curioso que mesmo depois de sua morte (2003) o ator seja lembrado por esse papel, mesmo tendo vivido tantos outros. A verdade é que o Juan do Eduardo realmente é um personagem à parte; a sua voz, o seu cabelo comprido, seus olhos verdes e as atitudes destemidas permearam o imaginário feminino da época e até hoje encanta as admiradoras (eu inclusive) da trama.

Edith também se saiu super bem como a mocinha Monica, ela soube passar a pureza que a personagem tinha e que no decorrer da trama ia se descobrindo como uma mulher forte e decidida. Fico pasma quando vejo Coração Selvagem e depois Dona Bárbara (2008), a Edith realmente merece estar onde chegou, ela é uma boa atriz com certeza. 
  
Falando em Edith e Eduardo não poderia deixar de apontar a química desses dois; é fato que a Maria Zarattini gosta de empregar no seu texto o lado mais sensual e sexual dos seus personagens e com Monica e Juan não foi diferente, os dois atores tiveram momentos bastantes memoráveis e até hoje formam um dos casais mais bonitos e marcantes da televisão mexicana.

Seja pelo elenco afiado, produção caprichada e trilha sonora maravilhosa a história de Coração Selvagem se tornou inesquecível e é por isso que é considerada um clássico das telenovelas. Por isso sempre recomendo essa novela, se você gosta de livros de romance histórico então, acredito que irá gostar mais ainda. E se você não acompanha novelas, deixo a dica para acompanhar essa novela agora nas férias, afinal, é bom acompanhar uma história de amor seja ela em livro, série, teatro ou nas novelas.     


Curiosidades

- A novela é baseada em uma trilogia literária que foi escrita pela autora mundialmente conhecida, Caridad Bravo Adams;

- O ator Eduardo Palomo morreu em 06 de novembro de 2003, vitima de um ataque cardíaco durante um jantar em um restaurante em Los Angeles, EUA.

- Em um dos principais prêmios da tv mexicana, o TvyNovelas, a novela ganhou  o prêmio de melhor novela, melhor atriz e ator protagonista, melhor primeira atriz, melhor revelação feminina e masculina e melhor trilha sonara de novelas do ano de 1993;

- A versão de 2009 de Coração Selvagem que também foi produzida pela Televisa foi um verdadeiro fiasco,  ninguém que já assistiu a versão de 1993 gostou desta última versão. Falo sério, não olhem (só se quiser rir um pouco...kkk);

-  A trama foi exibida pela primeira vez no Brasil pela CNT em 1997 e pelo SBT em 2001, sendo a sua última reprise aqui no Brasil pela TLNovelas em 2008.

p.s. Resenha publicada anteriormente em outro blog

RESENHA: Coração Selvagem (1993) RESENHA: Coração Selvagem (1993) Reviewed by NM em foco on 16:39 Rating: 5

Nenhum comentário